• 11 5547-7770
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Dicas e Artigos do Dr Igor Polonio

Tratamento do Tabagismo

Tratamento do Tabagismo

O tabagismo é um hábito complexo e  o seu tratamento envolve não só medicações ,mas, também, uma abordagem cognitivo-comportamental.

 

O tabagismo é o ato de fumar o tabaco, produto extraído da folha do fumo. O tabaco contém a droga nicotina, que é a responsável por produzir modificações do organismo e gerar a dependência. A nicotina pode viciar de 4 a 5 vezes mais que a cocaína. O cigarro, principal forma de consumo da nicotina, quando tragado, libera cerca de 5000 substâncias a uma temperatura de 900 graus Celsius. Cerca de 60 destas substâncias são capazes de induzir o câncer, que pode ocorrer não somente no pulmão, mas na boca, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, rins, bexiga, mama, colo do útero, cólon, etc. Outras doenças como infarto agudo do miocárdio,acidente vascular cerebral, doença pulmonar obstrutiva crônica também podem se desenvolver.

O tabagismo é um hábito complexo, além de ser uma doença com propensão genética, e o seu tratamento envolve não só medicações, dependendo do grau de dependência do fumante, mas também abordagem cognitivo- comportamental.

A abordagem cognitivo- comportamental envolve estratégias de mudança de comportamento e hábitos responsáveis pelo tabagismo, além de conscientização do fumante sobre os malefícios do tabaco. Geralmente, muitos dos fumantes mantém seu hábito devido a fatores emocionais, depressão e ansiedade e a abordagem cognitivo- comportamental agirá fazendo com que o fumante enxergue este "buraco", para que ele mesmo possa tampá-lo. Normalmente os fumantes possuem as mais diversas justificativas para o seu hábito, muitas vezes responsabilizando outras pessoas pelo seu problema e frases do tipo "comecei a fumar por causa de um amigo" são muito comuns.

Assim, o tratamento moderno do tabagismo deve envolver a terapia cognitivo -comportamental, que pode ser realizada em grupos, com sessões semanais, normalmente 4 sessões, quando o paciente será preparado para parar de fumar. Além disso, para os pacientes mais dependentes, também pode ser associado o tratamento farmacológico.É muito importante ressaltar que o tratamento medicamentoso isolado é pouco eficaz, pois deixa de abordar os aspectos psicológicos e comportamentais e há grande número de pacientes que recorrem ao hábito após interrupção das medicações.
Após parar de fumar, o fumante enfrentará um período varíavel de 2 a 4 semanas de abstinência. A abstinência é causada pela ausência da nicotina no cérebro e causa sintomas como irritabilidade, nervosismo, dor de cabeça e sudorese. Este é o período mais difícil para o fumante.
Durante o período de abstinência ocorre a fissura. A fissura é o desejo incontrolável de fumar. Tem duração de 3 a 5 minutos e vai diminuindo com o tempo, até desaparecer por completo.
Concluindo, para que haja sucesso na interrupção do tabagismo o fumante primeiramente deve estar motivado a parar. Dado este primeiro passo, a terapia cognitivo- comportamental associada à medicação nos casos mais dependentes tem grande probabilidade de ser efetiva.

 

SESSÕES DE INTERVENÇÃO COMPORTAMENTAL

As sessões de intervenção comportamental são divididas em 4, realizadas preferencialmente em grupos de 6 a 8 pessoas; As sessões seguem o modelo preconizado pelo INCA; Quem realiza as sessões é o médico :

Primeira Sessão: Entender por quê se fuma. Nesta sessão são explicados os mecanismos do tabagismo. Os pacientes se apresentam, respondendo as seguintes perguntas: 1) Quando e por quê começou a fumar; 2) Quantos cigarros fuma por dia; 3)Por quê quer parar de fumar; 4) O que acha mais difícil para conseguir parar. Após cada sessão os pacientes são atendidos em consultas individuais, nas quais serão investigadas as doenças tabaco-relacionadas e introduzidas medicações para atenuar a síndrome de abstinência tabágica, conforme indicado. Entre a primeira e a segunda sessão, o paciente deve marcar uma data para parar de fumar.

Segunda Sessão: Os primeiros dias sem fumar. Nesta sessão, os pacientes serão abordados das principais dificuldades que estão enfrentando na interrupção do tabagismo. Ao final, é realizado exercícios respiratórios de relaxamento, com o fim de ajudar na síndrome de abstinência.

Terceira Sessão: Nesta sessão são abordadas as principais questões e situações que fazem as pessoas recaírem com o tabagismo. São ensinadas técnicas e mudanças práticas para que o paciente evite recair.

Quarta Sessão: Nesta sessão são enfatizados os benefícios com a saúde na interrupção do tabagismo. Os integrantes do grupo são estimulados a trocar telefone para que se estabeleça um vínculo entre eles, que pode ser útil para evitar recaídas.

Após as quatro sessões, este grupo é acompanhado quinzenalmente até 3 meses de acompanhamento e mensalmente até 1 ano de acompanhamento, quando o risco de recaída é maior.

 

DICAS PARA PARAR DE FUMAR

1. Procure ocupar a mente com uma atividade relaxante.

2. Pratique atividades físicas (consulte antes seu médico).

3. Evite comidas gordurosas, doces e café (eles aumentam a vontade de fumar).

4. Evite a companhia de pessoas fumantes durante o período de abstinência (primeiro mês - já que neste período a recaída é muito mais fácil).

5. Marque uma data para parar e avise as pessoas que você pode ficar irritado no período de abstinência.

6. Pare de uma vez se conseguir. Parar aos poucos aumenta a abstinência.

7. Faça uma alimentação saudável com comidas leves (parar de fumar aumenta o apetite pois a nicotina inibe o apetite no cérebro).

8. Resista a fissura. A fissura é o desespero por fumar após você ter parado. Ela dura de 3 a 5 minutos e com o decorrer do tempo ela irá se espaçando até desaparecer.

9. Não tenha medo de fracassar. Muitas pessoas não conseguem parar de fumar na primeira tentativa, mas sempre que há vontade firme e persistência ocorre o sucesso.

10. Procure seu médico para ajuda e orientações e para tratamento medicamentoso, quando indicado.



FINALMENTE, LEMBRE-SE:

Parar de fumar não é apenas o ato de interromper o tabagismo, é uma mudança profunda que você fará em seus hábitos e, assim, levará uma nova vida com mais qualidade, bem estar e o mais importante: SAÚDE.
Nunca se esqueça que o primeiro cigarro é a porta para todos os outros e a recorrência do hábito.

Boa Sorte !

 

 


© 2020 Dr. Igor Bastos Polonio | CRM-SP 101463. Todos os direitos reservados. by GroovePix.
Site em conformidade com a Resolução 1974/2011 do Conselho Federal de Medicina | Veja aqui a Política de Uso e Privacidade do Site
Esta página utiliza cookies para melhorar a sua experiência em nosso website. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.